Lápis Zen

MUHAMMAD ALI: Eu sei da verdade
Pág. 1 de 1


Série completa de Muhammad Ali:
A lenda de Cassius Clay
O verdadeiro campeão
• Eu sei da verdade

Quando Cassius Clay virou Campeão de Pesos Pesados em 1964, ele já causava antipatia em quase todo mundo. Os americanos não gostavam de vê-lo se gabando, dizendo que era o maior e mais bonito boxeador que já existiu. Quem é que gosta de exibido, não é? Ele não era levado a sério mesmo depois de ter vencido Sonny Liston, pois Liston não perdeu por nocaute, e sim desistiu da luta. Diziam que a luta tinha sido arranjada.

A antipatia passou a desprezo quando Clay declarou, no dia após a vitória, que era integrante do grupo Nation of Islam. O grupo era considerado extremista e violento, pois pregava a independência afro-americana pelo meio que fosse necessário. Na época em que Martin Luther King lutava pela integração, o Nation of Islam queria separação total. Já circulavam rumores quanto ao envolvimento de Clay com o grupo quando sua personalidade mais conhecida – e talvez o homem mais temido do país, Malcolm X – fora visto com o lutador pouco antes da luta com Liston.

O desprezo passou a ódio puro alguns dias depois, quando Clay anunciou que o líder da Nation havia lhe rebatizado: agora ele era Muhammad Ali. Ninguém levou Ali a sério e tratou aquilo como piada. Todo mundo – jornalistas, apresentadores, outros boxeadores – recusaram-se a chamar Ali pelo novo nome e ele levou anos para ser aceito.

Não havia, contudo, como ignorar o brilhantismo de Ali no ringue.

Entre 1964 e 1967, Ali defendeu seu título 9 vezes. Na revanche contra Liston, derrotou-o com seu famoso Soco Fantasma ainda no primeiro round. O público mais uma vez não se convenceu da performance, pois Liston caiu como um saco de batatas com um soco fora do normal. Tinham certeza de que a luta fora arranjada. Até Ali gritou para Liston se levantar, pois sabia que ninguém ia acreditar. Mas Ali provou-se nas seis contendas seguintes, com demonstrações devastadoras de agilidade e potência. Entre elas, a que é considerada sua luta mais habilidosa, contra Cleveland Williams e a infame luta “what’s my name?” [“diz meu nome!”] contra Ernie Terrel. Antes da luta, Terrell recusou-se a chamar Ali pelo novo nome e castigou-o durante a luta, gritando “what’s my name?” entre os socos, prolongando a luta intencionalmente por 15 rounds (aqui tem um belo vídeo sobre a animosidade entre os dois e sobre a luta em si).


Navegação rápida

MUHAMMAD ALI: Eu sei da verdade

Lápis Zen
MUHAMMAD ALI: Eu sei da verdade — Página 1

Cadastrada em:
21/09/2013

Tradução:
Érico Assis

Letras:
Rodolfo Muraguchi

Revisão:
Fabiano Denardin



Gostou do que leu? Quer falar sobre alguma coisa desta página? Encontrou algum erro?

DEIXE UM COMENTÁRIO

			

Todos os comentários são lidos, respondidos (se for o caso) e aprovados antes de serem publicados. A aprovação pode demorar desde algumas horas até alguns dias. Tenha um pouquinho de paciência e seu comentário aparecerá no site. Muito obrigado!
Voltar ao topo